Como destruir um relacionamento

CC Patrick Slattery
- A senhora nega então que assassinou a vítima?

- O que aconteceu foi que...

- A senhora estava ou não dentro do apartamento da vítima na hora que ele morreu?

- Sim, mas...

- Gostaria de apresentar aos jurados a evidência número 24.135 que mostra claramente que a localização do GPS do celular da ré na hora exata do crime era o apartamento da vítima. Adicionalmente está a evidência número 24.136, o registro de um checkin automático no Foursquare no local chamado "ninho de amor" que coincide com o local do crime e endereço de residência da vítima. A senhora pode nos dizer se, aproximadamente duas horas antes do crime, a senhora comprou uma faca idêntica a usada como arma do crime na loja de departamentos que fica próxima a sua casa?

- Comprei, mas...

- Apresento aos jurados a evidência número 24.137 que mostra a fatura do cartão de crédito da acusada onde consta a compra de uma faca idêntica a arma do crime encontrada no local com as suas impressões digitais. A senhora nega também que pesquisou na internet termos como "como matar alguém esfaqueado"?

- Pesquisei, mas foi porque...

- Apresento a evidência número 24.138 que mostra o histórico de buscas encontrado no computador pessoal da ré com os termos "como matar alguém esfaqueado", "como castrar um homem" e "onde fica a jugular" realizado cerca de 2 horas e meia antes do assassinato da vítima. A senhora vai negar também que cerca de três horas antes do assassinato, a senhora e a vítima tiveram uma discussão calorosa pelo Whatsapp?

- A gente brigou sim, mas foi porque ele...

- Que fique registrada a prova 24.139 que mostra o log da conversa entre a ré e a vitima pelo Whatsapp onde a ré diz claramente no final da conversa "vou te matar" seguido de um emoticon de uma carinha vermelha com cara de brava. E a senhora, poderia nos dizer se foi ou não a senhora quem, cerca de 3 minutos antes de iniciar a referida conversa pelo Whatsapp, mudou o seu status no perfil do Facebook de "em um relacionamento sério" para "solteira"?

- Sim. Mudei, mas...

- E foi ou não foi a senhora quem, 7 minutos antes de mudar o seu status no relacionamento excluiu a vítima da sua lista de amigos do Facebook, do grupo de amigos do Whatsapp, parou de segui-lo no Twitter e até mesmo teve a frieza de lembrar de retira-lo do seus círculos do Google Plus?

- Sim eu fiz isso, mas é que...

- E que logo antes disso a senhora apagou todas as fotos do álbum chamado "Amor" no Flickr que continha diversas fotos do casal?

- Me deixa explicar?

- Eu poderia apresentar ainda mais provas mas vou poupar o tempo dos senhores jurados. Acredito que os senhores membros do juri já tem provas o suficiente para reconhecer que a ré é de fato culpada pela morte da vítima. Encerro o meu caso.

A advogada de defesa se levanta calmamente, abre um cavalete na frente dos jurados, abre a sua pasta Louis Vuitton, pega um iPad de última geração, abre o Instagram, move o seu dedo velozmente para lá e para cá e por fim coloca o iPad em cima do cavalete de forma que todos consigam ver a tela.

- A senhora poderia me dizer o está vendo?

- Vejo uma selfie que postei no Instagram junto com uma amiga minha na praia.

- E logo abaixo tem um comentário. A senhora poderia me dizer quem o escreveu?

- Foi meu ex-namorado.

- A senhora poderia também por gentileza ler em voz alta o que o comentário diz?

- "Ahahaha... você está parecendo uma baleia descabelada do lado dessa sua amiga gostosa".

- Nada mais a declarar.

Ela foi condenada a nunca mais postar nenhuma selfie e a passar o telefone da amiga dela para os membros masculinos do juri, que era maioria.