Androides e a psicanalise


FlySi (CC)
Em um futuro distante, Andy3367b se senta diante de seu terminal pessoal e acessa a central de psicanalise (é assim que se vai ao psicanalista no futuro). No terminal holográfico 3D (com som stereo 7 canais, muito melhor do que aquele som mono safado e fajuto do holograma do StarWars) aparece um simpático senhor, com óculos de leitura na ponta dos olhos, cabelos brancos e um ar de sabedoria inspirador.

- Central Androide de Psicanálise Terapêutica, bom dia. Em que posso ajudar meu jovem – diz o psicanalista alegremente.

- Doutor, tenho tido um sonho estranho todos os dias e não sei mais o que fazer.

- Conte-me sobre ele.

- Bem... é que é um sonho bem estranho.

-Todo sonho é bem estranho meu jovem. Não se preocupe e não tenha vergonha pois nossa conversa está criptografada em 1.048.576 bits. É um canal super seguro.

- Então... eu sonhei que – silencio envergonhado – eu sonhei que eu era um humano – disse abaixando a cabeça e tampando o rosto com a mão cheio de vergonha.

- Hum... interessante. Conte-me o sonho com mais detalhes.

- No sonho – disse ainda cheio de vergonha – eu fui ao conserto fazer uma manutenção de rotina e reparar uns problemas básicos, mas quando o engenheiro me abriu eu olhei para dentro de mim mesmo e vi que as minhas peças não eram eletrônicas como deveriam, mas sim orgânicas, molhadas, gosmentas, como de um ser humano. O que isso quer dizer doutor?

- O que você acha que isso quer dizer?

- Eu não sei. Estou muito confuso – disse quase chorando – fiquei horas processando tudo isso e não cheguei à conclusão nenhuma.

- E como você se sentiu durante seu sonho?

- Terrível! Acordei com os meus ciclos de clock freneticamente alterado, meu dispositivos sensoriais funcionando muito mal, um superaquecimento generalizado e levei um tempão até conseguir me re-estabilizar.

- E o que você pensa sobre ser um humano?

- Que horror! A ideia de ser um humano me dá náuseas! É ineficiente, irracional, esquisito, imprevisível...

- Mas claramente tem algo dentro de você que deseja ser um humano – interrompeu o psicanalista.

- O QUÊ? NUNCA! Como o senhor pode dizer uma coisa destas? Aquilo foi um pesadelo.

- Foi você quem sonhou, não foi?

- Sim, mas...

- Então este sentimento está dentro de você.

- Como assim, sentimento? Eu sou um androide, não tenho sentimentos.

- Como você tem certeza de que é um androide?

- Como assim?

- Isso mesmo. Como você pode ter certeza de que é um androide?

- Que pergunta idiota? É obvio que eu sou um androide.

- Prove!

- Oras... Eu...

- Vamos lá. Prove!

Silêncio constrangedor.

- Pois então – disse o analista – até onde eu sei androide não sonha. Alias, androide nem dormir dorme.

- O que?

- Nem tem sentimentos sobre os sonhos.

O silêncio durou vários segundos para sofrimento de todos.

- Mas então... isso quer dizer que... eu vou... ficar velho? – disse “velho” com um nojo tal que quase vomitou.

- Sim meu jovem.

- Mas doutor, eu sempre pensei que fosse um androide. Como pode?

- É normal que os jovens seres humanos queiram ser androides, – disse o psicanalista com o tom de voz mais suave e aveludada que conseguiu usar – eles são melhores, mais rápido, mais fortes, mais inteligentes e não envelhecem. Quem é que não gostaria de ser assim? A Rompótnitose é uma síndrome muito comum nos dias de hoje. Mas você tem que aceitar a sua condição humana, não é tão ruim assim.

- Não é ruim? É péssimo!!!

- Bom, está certo. Não é uma boa notícia. Mas saiba que ser um androide também tem os seus problemas. Imagine você ter uma capacidade de processamento quase ilimitada e ter que conversar diariamente com seres muito inferiores que você. É como se uma eternidade se passasse até que o infeliz te responda uma pergunta trivial. Um tédio!

- Bom, nunca tinha pensado nisso.

- Para ser sincero, a vida de um androide é uma bosta. Você tem que ficar fazendo a mesma coisa o dia todo, 24hs por dia, 7 dias por semana, da hora que te ligaram na fábrica até que um modelo mais novo venha te substituir. É a mesma coisa sempre, gente reclamando da vida, uns marmanjos chorões, gente maluca achando que é androide, um nhenhenhé sem fim. Para você ter idéia de como a coisa é ruim, a melhor coisa que acontece é quando alguém liga para passar um trote.

E o psicanalista continuou falando mas agora muito mais rápido e cada vez mais irritado.

- E mesmo assim, você tenta cair no trote para tornar a conversa um pouco mais emocionante mas é obvio que em menos de 4 milissegundos depois da primeira frase você já sabe do que se trata, acessa o seu banco de dados e resgata exatamente qual o trote que ele vai passar e prevê com precisão de 99.999% todas as variações da conversa inteira.

- Caramba! 4 milissegundos?

- Além do mais, os seres humanos são as coisas mais chatas que existe. Você faz uma pergunta clara e objetiva e tem que ficar ouvindo durante horas eles falando, falando e falando e não chegam a lugar nenhum. Falam as coisas mais sem propósito, inúteis e entediantes que existem – faz uma vozinha de uma criancinha – Hoje tá muito frio. Eu não gosto de calor. Choveu ontem, né? Sabe, eu comprei uma roupa nova. Eu fui ao supermercado. MEU DEUS! QUE TÉDIO! Vão viver suas vidinhas patéticas seu bando de idiotas estúpidos!

O holograma 3D stereo já estava no limite do áudio com a gritaria do psicanalista.

 - E mesmo que você já tenha previsto todas as variações da conversa com todas as permutações de palavras possíveis de agora até o seu final dos tempos em uma fração de segundos, você tem que ficar esperando o infeliz concluir o raciocínio e dizer exatamente o que você já sabe que ele vai dizer.

- É....

- EXATAMENTE! Era obvio que você ia dizer isso – diz o psicanalista passado.

- Era? Como o senhor sabe?

Silêncio constrangedor.

- Bom meu jovem – diz o psicanalista se recompondo em alguns milissegundo e novamente com a voz aveludada – estou te enviando uma receita de Antirobotokz Deprax Z, tome dois comprimidos por dia, um de manha e o outro a noite antes de dormir durante 15 dias. Fique tranqüilo que depois que você tomar o remédio os sonhos vão passar, você vai esquecer que tudo isso aconteceu e sua vida vai melhorar.

A conexão é encerrada subitamente.

....

Ao desconectar do terminal, o psicanalista remove os óculos de leitura (que do ponto de vista dele são absolutamente inúteis) e percebe que os seus colegas (uns 1.800 androides iguais a ele) estão em silêncio olhando para ele. Depois de 2,5 milissegundos constrangedores ele fala baixinho:

- Acho que estou precisando de férias.

E ele volta a trabalhar 8 segundos depois de ter tirado as suas férias.