Coisas para dizer para um E.T.

Creditos: Wikipedia
Acho que todo o nerd que se preze já sabe que tem um disco de ouro a bordo das espaçonaves Voyager, que foram lançadas na década de 70, com mensagens dos seres humanos para os extraterrestres. Atualmente, estas espaçonaves estão saindo do sistema solar e entrando no espaço intra-estrelar rumo a ‘sei lá onde’ no espaço. Na verdade, os astrônomos sabem exatamente para onde elas estão indo, mas vai demorar centenas de milhares ou até milhões de anos para elas chegarem próximo de outra estrela, seja lá onde isso for. Então, para todos os propósitos práticos, não faz a menor diferença para onde elas estão indo.


A chance destes discos serem de fato vistos por um ET é tão ridiculamente pequena que a chance de alguém fazer o calculo do quão ridiculamente pequena essa chance é já tende a zero. Pensa só. Serão milhares de anos viajando literalmente no meio do nada para chegar próximo à outra estrela. Nesta estrela, tem que existir um planeta. Neste planeta tem que ter vida. Essa vida tem que ser inteligente. A inteligência deles tem que ser avançada o suficiente para detectar a aproximação da nossa espaçonave e ir até o espaço captura-la (esperar que a Voyager cai no planeta e ainda assim o disco sobreviva é ridículo). E por último, para ver o disco, eles não podem ser todos cegos, o que sempre é uma possibilidade evolucionária.

Em resumo, parece ter sido um grande desperdício de ouro.

Mas você tem o direito de ter esperança, mesmo contra toda a força matemática da estatística. O direito é seu e pode usa-lo se quiser. Aliás, a ideia de que uma civilização alienígena inteligente encontre a Voyager vagando pela galáxia e ache o tal disco chega a ser reconfortante. E se isso acontecer, sem dúvida nenhuma, a primeira coisa que eles vão notar é que o disco é de vinil. Sim, vinil. Era o que tinha de melhor na época. Mas se em apenas 30 anos a gente substituiu completamente o disco de vinil por coisa melhor, imagine daqui a milhões de anos. Será um vexame intergaláctico sem precedente. Imagine o que eles vão pensar de nós? Que vergonha.

Tradução do diálogo entre os ETs:

- Capitão, encontramos uma espaçonave alienígena vagando próximo do setor Alfa7. Conseguimos recolher ela e achamos um disco de ouro que contém algum tipo de mensagem.

- Sério! Sensacional! Esta é a maior descoberta de todos os tempos!

- Mas parece que o disco é de vinil.

- VINIL?!?!!  

- Sim senhor.

- Uhm... acho que é melhor a gente derreter esse disco então e aproveitar esse ouro. Não vamos conseguir achar uma vitrola funcionando hoje em dia.

Ou você acha que o capitão iria ordenar prontamente “traga-me a vitrola!”. A ideia de ter uma vitrola à disposição em uma espaçonave interestrelar ultramoderna e a mesma que querer achar um iPad nas catacumbas das pirâmides do Egito.

E mesmo que os ETs consigam parar de rir depois de descobrir que o disco é de vinil e vejam a nossa mensagem a gente nunca vai ficar sabendo que eles nos acharam. A mensagem que colocamos contem coisas bonitas, mensagens de paz, sons de passarinhos cantando, imagens de mulheres peladas, essas coisas. Quem é que vai realmente acreditar que aqui é assim? Uma civilização realmente inteligente iria logo ver que se trata de uma mentira. Não tem foto de guerra? Não tem som de discurso de político? Não tem referência nenhuma a lixo? Não tem comprovante de imposto de renda? Um ET realmente inteligente pensaria “estes caras só podem estar mentindo, deve ser uma armadilha para a gente ir para lá e eles nos comerem”. E ai nunca vamos saber que eles existem.

Se realmente quiséssemos que eles entrassem em contato conosco teríamos que fazer muito melhor do que isso. Algumas sugestões de mensagens que provavelmente os motivariam a nos chamar de volta:

- “Temos cerveja e sabemos fazer um churrasco de primeira”.

- “Temos pornografia gratuita na Internet”.

- “Já abolimos a escravidão, mas estamos dispostos a negociar”.

- “Se vocês forem realmente inteligentes, não cheguem perto de nós”. Dizer que não pode normalmente faz as pessoas querem.

- “Sermos bons bichos de estimação”.

- Mandar uma sequência gigantesca de “0s” e “1s” e no meio colocar um “2”. A curiosidade pode ser irresistível.

- Especificar claramente o valor nutritivo de um ser humano.

- “Atenção! Venha apenas se vocês não forem feitos de anti-matéria. Obs: Se não souberem o que é isso, nem precisam vir”.

- “Vocês tem senso de humor? Se quiserem vir para cá vocês vão precisar”.  

- “Agora que vocês já sabem da gente, já descobriram alguma vida inteligente por ai”?

- “Vocês viram uma chave por ai? Perdemos e não sabemos onde está”.

- “Desculpe, foi engano”.

Mais alguma?