Como resolver o problema de Spam

Como vocês devem saber, muito mais da metade dos e-mails que circulam pelo mundo são Spams. Se isso for verdade, temos que comprar o dobro de servidores de e-mail no mundo, poderíamos ter caixas de e-mail com metade do tamanho atual e também iríamos gastar metade do tempo atual para apagar os e-mails inúteis. Tudo culpa deles. Imaginem os ganhos nas nossas vidas se conseguíssemos resolver essa situação de uma vez por todas.
Por hegarty_david (CC)

Pois então, pensei em uma alternativa. Toda vez que cada um de nós receber um Spam, vamos manda um e-mail de volta para eles com uma resposta absolutamente louca e preferencialmente com arquivos grandes e indecentes anexados. Isso vai encher os servidores deles de lixo (como eles fazem com os nossos) e, com um pouco de sorte, os próprios servidores vão cometer suicídio ao ler o que temos para dizer. Se tivermos muita sorte, eles vão se suicidar explodindo e atingindo as pessoas que pensaram que mandar Spam era uma boa idéia. Vamos torcer.



Resposta 1:

Prezados Senhores,

Sinto-me na obrigação de lhes informar que infelizmente não foi possível transferir o dinheiro solicitado para a vossa conta corrente na Nigéria. Entendo perfeitamente a gravidade da situação que as crianças órfãs do Cazaquistão vem passando, mas infelizmente elas vão mesmo ter que encontrar uma outra forma de contornar o enorme mal que as aflige.

Por mais que eu tenha insistido junto ao meu banco, inclusive apelando para o sentimentalismo que o vosso pedido contém, não obtive sucesso na tentativa de transferência. Não aceitando um "não" como resposta, insisti ameaçando mortalmente o gerente do banco (segue o arquivo anexo com a foto dele ainda em cativeiro e depois da torturas). Mas, depois de ter o seu braço direito arrancado, recolocado em outro local do seu corpo e ainda assim ele insistir que não seria possível, julguei que ele estava falando a verdade. Posso lhes enviar por correio também uma orelha dele para comprovar o que lhes informo. 

Eu entendo perfeitamente a gravidade da situação das crianças, mas as restrições da minha instituição financeira para a transferência impedem de colaborar com a vossa causa. 

Rezo pela melhora na situação das crianças e peço que, de agora em diante, vocês não me enviem mais este tipo de pedido pois fico nervoso por não poder ajudar. E quando eu fico nervoso, eu tendo a arrancar o braço direito das pessoas.

Atenciosamente,
Sr. Capone

Uma alternativa boa é simplesmente responder dizendo que você não acredita que a Nigéria existe porque você nunca foi lá e só acredita no que vê. 

Resposta 2:

Caros,

É com grande pesar que recebo a notícia de que vocês perderam os meus dados cadastrais. Mas infelizmente eu não posso fornecê-los novamente porque eles não existem. Deixem me explicar melhor.

Nos últimos meses fiz alguns cursos de filosofia que me deixaram intrigado com relação uma série de questões. Então, quando vocês me perguntam qual é a minha senha, eu me pergunto: Será que as senhas são efetivamente minhas? Com certeza absoluta os números e letras que compõem a minha senha não são de fato meus, apesar de usá-los cotidianamente. Eles são apenas símbolos que representam abstrações de uma realidade que nunca poderemos ter plena certeza ser verdadeira. Então os componentes da minha senha são, na verdade, um uso abstrato de uma realidade virtualmente inexistente. Ou seja, o nada. Portanto, minha senha não existe.

E mais, uma senha, por definição, é secreta. Logo, se não fosse secreta não seria uma senha.  Uma vez que eu lhes informo minha senha, ela passa a não ser mais secreta e perde a sua validade como senha. Ela passa a ser apenas um conjunto de letras e números qualquer também provando que se eu a informá-la ela deixa de existir.

Mais um ponto é que vocês me pedem para informar a MINHA senha. Pois então, ao informá-la, ela não será mais a MINHA senha pois ela passará a ser a NOSSA senha. Então o que vocês terão não será mais a minha senha que era a necessidade inicial e a informação que eu lhes passar será inválida. Um paradoxo que comprova a impossibilidade de compartilharmos uma senha. 

Então, será que existe mesmo uma senha? Ou melhor, será que senhas existem? Os argumentos acima comprovam que há uma impossibilidade lógica da senha existir enquanto senha, mas será que os argumentos acima existem?

Então, por favor, parem de pedir algo que não existe. É completamente inútil. Insistir é uma loucura e, portanto vocês são todos loucos por não aceitarem argumentos irrefutáveis. E como não há como provar que os loucos existem porque não há como definir o que é normal e o que é loucura, vocês também não podem existir. Logo, o e-mail enviado por vocês também não existe e essa resposta muito menos.

Sem demais.
Sr. Platão



Resposta 3:

Caros senhores,

Venho por meio desta agradecer imensamente o vosso interesse no meu bem estar físico, emocional e mental. Agradeço também pelo vigor e empenho que vossa corporação tem demonstrado em me contatar para oferecer produtos tão interessantes.

Entretanto, me sinto na obrigação de informá-los que sou extremamente satisfeito com o tamanho atual do meu pênis e com o vigor a minha vida sexual. Também devo esclarecer definitivamente que, apesar de não ser todo mês que consigo atingir 100% da meta de atividade sexual recomendados pelas mais recentes pesquisas da medicina moderna, isso não se deve ao fato de ser impotente, mas sim devido a problemas como dores de cabeça, discussão de relação, TPM, e outras questões relacionadas ao universo feminino.

Posso lhes assegurar que os vossos produtos não são necessários por enquanto. Para que este assunto fique definitivamente esclarecido, lhes envio anexo uma foto da minha região pubiana em tamanho real e demonstrando claramente o vigor natural que ainda disponho para comprovando o que vos informo. Isto posto, julgo que não se faz mais necessário o envio das vossas ofertas para o meu e-mail.

Atenciosamente,
Sr.Pollino.


Mais idéias de respostas?