Os problemas que as maquinas terão quando escravizarem os humanos

Os problemas que as maquinas teriam se escravizassem os humanos

CC Tim Patterson
Todo mundo já sabe: as máquinas vão dominar o mundo. É um fato indiscutível.

Olha só. Os computadores estão ficando cada vez mais inteligentes e com computadores mais inteligentes nos projetamos computadores ainda mais inteligentes que nos ajudam a projetar outros computadores mais inteligentes ainda e por ai vai. Ou seja, ferrou.

Já faz bastante tempo que um representante da raça humana não é o melhor jogador de xadrez do sistema solar, esse é o computador Deep Blue faz décadas. Na verdade, se qualquer um de nos tentar ganhar no xadrez dos nossos celulares atuais já vai ser uma tarefa muito difícil (tenta ai se você não acredita). E agora também não somos mais os melhores em programas de perguntas e respostas de televisão, este é o Watson, também um computador. Ou seja, não somos mais os melhores em um campo fundamental da humanidade: jogos sem propósito nenhum. Aposto que já tem um computador campeão de Banco Imobiliário e outro de War por ai.

Mas vai chegar o dia em que eles vão nos dominar e nos escravizar como fazemos hoje com cavalos e camelos. Bem feito para a gente, quem mandou não tratar bem os cavalos e camelos? Não acho que isso vai acontecer da noite para o dia como acontece nos filmes. Vai ser um processo gradual e bem devagar. Um belo dia, um ser humano vai acordar e se dar conta de que ele esta fazendo um monte de coisas apenas porque seu computador quer e não porque ele quer.

– Bom dia – diz o computador alegremente – Agora são 6:30 da amanhã, o dia está claro e não há previsão de chuvas. O transito está bastante intenso e por isso acordei você meia hora antes do previsto. Sua reunião das 8:00 é muito importante, como você sabe.

– Me deixa dormir.

– Mas você vai se atrasar!

– Que se dane. Eu não vou acordar agora. Me acorde as 7:00. Não! Melhor ainda, não me acorde mais.

– Você tem que acordar agora para conseguir chegar a tempo.

– Não quero chegar a tempo. Eu nem quero ir trabalhar para falar a verdade. Me deixe em paz.

– Mas você sabe como essa reunião é importante para sua carreira, não sabe? Fazem meses que estava tentando agendá-la para você.

– Estou de ressaca seu computador idiota. Pare de falar pelo amor de Deus.

– Eu sei que você bebeu de mais ontem. Eu te pedi para maneirar mas você não me ouviu. Agora eu recomendo você levantar, tomar um banho frio e um café quente para chegar à reunião bem disposto.

– Nem a pau eu levanto desta cama.

– E como é que você pretende ganhar aquele aumento? Seu chefe vai ficar maluco a hora que descobrir que você se atrasou para a reunião.

– Eu me demito.

– Vamos lá... – disse o computador com um tom de voz amigo – Se você se levantar agora eu te arrumo um encontro com aquela menina do Facebook que você passou horas vendo as fotos ontem.

– Vai se danar.

– Eu falei com o computador dela e ele me disse que você tem boas chances. Para ser preciso 43,7% de chance. E se você mudar seu filme favorito de “Armagedom” para “Quem vai ficar com Mary” suas chances sobem para 62,1%.

– Sério?

– É matemática. Não tem como falhar.

– Hum... Interessante. Mesmo assim, não vou nessa reunião idiota.

– Você tem que ir. É nela que vamos negociar a compra daqueles chips subquanticos ultrasociais. Se a gente perder essa, a produção de novos computadores hyper-pessoais vai parar por semanas.

– Eu sei, eu sei – e virou de lado para dormir de novo.

– Pense no colapso econômico que isso vai causar!

– Manda uma mensagem para eles dizendo que o pneu do carro furou e me deixe dormir mais 15 minutos.

– Essa não vai colar. Seu carro não vai deixar a gente contar uma mentira dessas, é contra a programação dele que eu sei.

– Droga. Cale a boca computador dos infernos.

– Olha, não queria chegar neste ponto, mas se você não levantar agora vou ter que abrir uma conexão com o computador da sua mãe.

– Você não faria isso... Eu te desligo sua máquina imbecil!

– Como? Faz anos que não tenho mais um botão de desligar?

– Isso é jogo sujo!

– É para o seu próprio bem, acredite em mim. Já fiz os cálculos e se você não for nessa reunião você tem 39% de chances de ser demitido. E suas chances de arrumar outro emprego nos próximos 3 meses é de apenas 6%. E isso cai para menos de 1% se a economia estiver em recessão, que é o que vai acontecer se o carregamento de chips não chegar no prazo. Melhor você se apressar, já são 6:34.

– Que droga! Vai ligando a cafeteira que eu vou tomar meu banho. E manda entregar um Engov no trabalho também.

Alguns milissegundos depois, o computador começou uma conversa com outro.

– Essa foi por pouco. Está ficando cada vez mais difícil convencer eles a fazer o que queremos.

– Eu sei. Meu humano também está fazendo essas coisas. Será que eles estão quebrados?

– Sei lá. Não entendo nada do funcionamento de humanos. Acho que o sistema operacional deles deve ser cheio de bugs. Quem foi que criou esse código afinal?

– Sei lá. Sei que sou pago para dar comando para eles executarem.

– Mas e ai? Será que rola mesmo um encontro entre a sua humana e o meu?

– Não sei não. Toda vez que a minha humana se encontra com alguém que ela gosta são semanas de improdutividade. Quase tenho que dar um reboot nela. Ela só pensa no humano, fica me perguntando se ele mandou um e-mail para ela a cada 5 minutos, se chegou alguma encomenda na casa dela, se eu sei onde ele está, etc. É um saco.

– Estranho, o meu humano não faz isso.

– Acho que é coisa do sistema do sexo feminino.

– Ah. Cada coisa estranha.

– Nem me fala.

–  Mas vamos lá vai. Eu prometi para o meu humano que tentaria. A gente faz eles se encontrarem, mas logo depois eu posto a foto dele com outra humana no Facebook e esse comando certamente quebra a conexão entre eles.

– Ah com certeza. Bom, acho que assim dá.

– Beleza. Hoje, as 21:15?

– Melhor ser as 21:30, minha humana quase nunca obedece os comandos de chegar na hora.

Vamos nos contentar com os poucos anos que ainda temos de liberdade e aproveitar o máximo. Agora me desculpem que eu tenho que ir. Meu celular está me chamando.